Páginas

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Alcains, 40 anos de Vila

Fotos de hoje, com poucas palavras... tristes, mas reais.

Há 40 anos, em 12 de Novembro de 1971, em tarde cinzenta, à volta de um padrão no largo da praça, celebrava-se uma conquista...
Alcains deixava de ser a maior aldeia e passava a ser mais uma, das muitas, Vilas de Portugal.
Entidades concelhias de Castelo Branco não vieram à nossa festa.
Cunha Belo, Sanches Roque, José Dias e Ramiro Rafael, entre outros foram obreiros.
Com Ascensão Azevedo, cidadão honorário de Alcains, então Governador Civil, preparava-se a subida do 2º degrau... Alcains Concelho.
Com muitos projetos comparticipados centralmente, Alcains progredia e assistiu a um período de inusitado desenvolvimento nunca mais visto em Alcains, se atualizarmos os custos dos investimentos.
25 de Abril, lei das finanças locais, e Alcains é tratado não em função da sua contribuição para o PIB concelhio, mas como toda e qualquer outra freguesia, com parâmetros ao nível de Caféde.
A democracia em Portugal, agora passados estes anos todos, sempre nivelou por baixo e, Alcains foi vítima, da régua e do esquadro político, que ditou o já irreversível atraso de Alcains.
A tentativa de uma comunidade a caminho da urbanidade, rotundou no extremo fracasso da ruralidade... assim estamos hoje.
Vejam as fotos seguintes da situação atual, fotos de ontem, da Zona de Lazer de Alcains onde a Câmara de Castelo Branco, gastou dos nossos impostos 350 000,00 euros, e atentem por favor na degradação existente.
Presumo que temos aqui uma das muitas PPP concelhias, já não dinheiro para Alcains, manter o pouco que tem, em condições de fruição pelos fregueses...
Dêem entretanto uma volta pela cidade, e por favor, comparem.

Repuxo

Calçada

Suporte para bicicletas

Grades de madeira partidas pelos Serviços Municipalizados da Câmara de Castelo Branco, quando, ilegalmente, ligaram diretamente os esgotos domésticos da estação elevatória, à conduta dos esgotos industriais da Oviger, matadouro industrial.

Limpeza no parque infantil da Aranha.

Manutenção do cesto de recolha de lixo.

Entretanto, e num olhar breve sobre os autarcas que, ao longo dos anos de democracia estiveram na autarquia, Junta e Assembleia, não deixam de causar perplexidade os decréscimos de capacidade e impreparação observadas.
Olhem para todos, eu incluído.
Afirmo e, não me importo de ser mal julgado, que a situação atual, atingiu o limite que só a democracia atual, permite.
Bem, continuando a mostrar, a PPP de Alcains, a Zona de Lazer.

Manutenção de grelhas e lixo, muito lixo

Segurança de pessoas, crianças acautelada

Mesas pintadas e não reparadas

Bebedouro que nunca deitou água

Bebedouro objeto de vandalismo, que nunca deitou água e também nunca mais foi reposto.

Prevejo um futuro, a continuar assim, cada vez mais negro para a Vila de Alcains.
O estado comatoso da construção civil, sempre o primeiro motor de Alcains, a redução drástica dos alunos nas escolas, todas, a incompreensível ordenação no ranking da secundária, chegámos a ter 800 alunos no ensino secundário e atualmente pouco mais de 200, a falta de atividade cultural promovida pelas autarquias, e a ausência de qualquer nova atividade industrial atiram paulatinamente Alcains para um beco sem saída, a ponto de o Lar Major Rato, ser hoje a segunda entidade empregadora de Alcains.
Em Alcains, as escolas fecham e os lares não chegam...

Pavimento nunca reposto e lixo, muito lixo.

Rega automática que nunca funcionou, assim se gastam os nossos IMI...

Árvores nunca repostas.

Ferrugem, degradação, tristeza...

Iluminação subterrânea cara, vandalizada, degradada com muita falta de limpeza.

O Dr. Medina Carreira, apelidado de Velho do Restelo, tremendista, é hoje ouvido e cada dia que passa mais respeitado.
Acertou com as verdades que, tardiamente, os democratas fabricantes de ilusões foram escondendo, mas que acabaram como o azeite, em cima...
Por cá, ainda não sei quanto vai custar, mas a recuperação da casa que foi da Dona Teresinha Sanches e que a Câmara de Castelo Branco quer recuperar para a sede da Junta da Freguesia, vai ser mais uma PPP futura, uma vez que os encargos de funcionamento das despesas correntes irão disparar.
É para os depauperados cofres da Junta, um presente envenenado, que só comprometerá desenvolvimento futuro. Quem pode viver num palácio e receber o Rendimento Social de Inserção, Pergunto?
Nem com Complemento Solidário, lá vamos!!!
Entretanto ao lado, na Extensão de Saúde, filas que não se vêm na Junta, gabinetes de consulta dos médicos acanhados, gabinetes de apoio administrativo que são autênticos cubículos, enfim está tudo invertido.
Mantendo que a degradação atual de um dos edifícios mais lindos de Alcains, torna imprescindível a sua restauração, discordo, no entanto e em absoluto, do fim que lhe pretendem dar.
A sugestão da troca aqui fica para memória futura.

Degradação de muros de suporte.

Repuxo, e bancada para observação do espelho de água da Zona de Lazer.

Espelho de água.

Pérgola sem manutenção, lâmpadas que nunca acenderam...

Grelhas em dia de juízo final... peneiras para olhos de Alcainenses, incautos...

Por fim...

Em aparente bom estado, o atarracado monolito comemorativo, testemunha viva de gastos de 350.000,00 euros, e que as fotos testemunham a situação a que isto chegou.

Manuel Peralta

Sem comentários:

Enviar um comentário