Páginas

terça-feira, 5 de julho de 2011

Figos Lampos

Cedo chegaram...
Este ano por aqui, excelentes.
Escorregavam pela garganta sem passar pelos dentes.


Esverdeados, avermelhados, ensolarados, rogados, alguns bem gretados...


Em manhã fria, pela humidade inchado e colhido em manhã estreita, abre grêta... são os melhores... deleitam suores...


Por pardal ou estorninho provado, picado, em águas furtadas colhido, são um castigo.
Escanções da fruta, estorninhos e pardais pontuam a qualidade, podemos comer à vontade.
Mas, se não houver atenção, não há figo há cascarão...


Mal colhido, de pé torcido, pele dilacerada, rasgada, colhido em quintal, muito bom mas sem valor comercial.


Para quem passava figo,
Arrastando muitos trastes.
Ofereço estes três figos,
Ao meu amigo Zé Vasques.


Manuel Peralta

3 comentários:

  1. Muito bons. Confirmo. Pena tenho eu do Laranjeiro ser tao longe e as viagens de autocarro para os vir trazer nao serem mais frequentes... Filipa

    ResponderEliminar
  2. Um post que me lembrou uma canção...

    O post da Filipa, que lá longe no Laranjeiro, anseia pelos bem apessoados figos lampos, deixa-me a pensar numa canção do Rio Grande, chamada Postal de Correios, que poderia ter uma adaptação deste género:

    “ Cá chegou direitinha a encomenda, pelo Expresso que parou no Laranjeiro, Figos lampos e Azeitonas p´rá Merenda, sempre dá para enganar a Saudade”...

    Adaptação livre e bem disposta, claro está...

    E o “homem do leme” que meta mãos à obra...

    Um abraço.

    MC

    ResponderEliminar
  3. Cá para as bandas de Portalegre também tivemos um excelente ano de figos lampos. Deu para todos, até os meus gatos, indirectamente , disso beneficiaram. Já que a passarada abundou e alguns pagaram forte tributo pela gulodice e foram parar à barriga do doméstico predador.

    ResponderEliminar